18,5% dos brasileiros sofrem de problemas crônicos na coluna


​O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na Pesquisa Nacional de Saúde 2013 (PNS) que 18,5% dos brasileiros sofrem de problemas crônicos nesta parte do corpo, o que representa cerca de 27 milhões de pessoas. O número de mulheres com problema na coluna é superior ao de homens, sendo 21,1% do sexo feminino, 15,5% do sexo masculino. A pesquisa mostrou também o problema de coluna dividido por faixa etária: 8,7% das pessoas de 18 a 29 anos, 19,9% das pessoas de 30 a 59 anos, 26,6% das pessoas de 60 a 64 anos e 28,5% das pessoas com 75 anos ou mais de idade. O ortopedista e especialista em coluna pelo Hospital das Clínicas, Dr. Rogério Vidal de Lima, diz que mudar hábitos simples pode ser a solução para resolver alguns problemas de coluna. “A primeira medida para evitar um problema de coluna é corrigir a postura diante de atividades básicas diárias. É necessário também que a pessoa pratique exercícios regularmente e se mantenha no peso ideal”. Alongar-se durante o dia também é uma forma de evitar as dores, explica o ortopedista. “O alongamento precisa fazer parte do dia a dia da pessoa. É uma tarefa essencial para quem quer prevenir as dores. São medidas simples como movimentar o pescoço da esquerda para direita, fechar e abrir a mão, entre outros. Se a pessoa se conscientizar dessa necessidade, não há dúvida de que muitos problemas serão evitados”. Confira abaixo uma lista com os principais inimigos da coluna: - Postura inadequada durante as atividades físicas. - Calçados inapropriados, para cada tipo de piso ou situação; - Sedentarismo; - Sobrepeso ou obesidade; - Ergonomia inadequada, no trabalho (mesa e cadeira) e em casa (cozinha, colchão, tavesseiro). - Excesso de peso nas mochilas ou bolsas; - Dificuldade auditiva ou visual, pois a pessoa se entorta para ouvir ou ver melhor; - Uso de notebook no colo, causando uma postura errada da pessoa; - Sofás, poltronas e cadeiras que afundam devido a espuma gasta; - Embreagem ou pedais do carro muito duros; - Banco do carro muito para trás ou para frente; - Movimentos repetitivos ou posturas que se mantêm por longos períodos, assim como a sobrecarga da região lombar.



Veja a matéria original publicada aqui

EM DESTAQUE
EM DESTAQUE

Rogério

  Vidal

LOCALIZAÇÃO

Av. Lavandisca 741  |  Cj. 105

Tel.: 11 3032-1811

Tel.: 11 3232-1050

ORTOPEDIA e TRAUMATOLOGIA Especializado em Coluna

TIRE DÚVIDAS OU ENVIE UMA SUGESTÃO

VÂNIA CAPARROZ PARA AGE IMAGEM

RV